As diferentes versões da dieta da proteína são uma boa forma de emagrecer porque ajudam a diminuir a ingestão calórica. Existem boas e más versões desta dieta, mas se seguir a dieta da proteína certa é possível melhorar a sua saúde, fortalecer o sistema imunológico e emagrecer ao mesmo tempo.

Primeiro que tudo é necessário desambiguar a definição da dieta da proteína; existem várias dietas da proteína: uma dieta com muitas proteínas e uma dieta com poucas proteínas.

Quando se fala em emagrecimento referimo-nos à dieta da proteína, refere-se a uma dieta com uma ingestão elevada de proteína que é recomendada por muitos personal trainers, fisiculturistas e nutricionistas para ganhar músculo e perder gordura. A dieta da proteína não deve ser confundida com as dietas do carboidrato (como a dieta de Atkins) porque não implica o consumo de gorduras que são vitais para a saúde.

A proteína é necessária para manter e desenvolver músculos e outros tecidos. Nos dias de hoje vivemos numa sociedade saturada de carboidratos processados que demoniza as gorduras, mas ignora o consumo excessivo de carboidratos e açúcares – numa sociedade com tanta propaganda é necessário ter a perspectiva correta sobre o assunto das proteínas e gorduras saudáveis.

A dieta da proteína pode ser interpretada de várias formas: algumas são saudáveis e outras não. Uma dieta com mais proteínas e menos carboidratos baseada em alimentos naturais é saudável. Uma dieta com muitas proteínas vindas de produtos alimentares processados como os batidos de proteínas, barras energéticas e outros produtos de produção industrial não é tão saudável e pode ser prejudicial à saúde. Também deve ter em conta a qualidade do batido ou suplemento de proteína que você consome – os batidos de proteína mais saudáveis são mais caros porque os ingredientes têm mais qualidade e um processo de fabrico mais custoso.

Controvérsia sobre a Dieta da Proteína

A proteína é considerada um macronutriente essencial por aqueles que defendem a dieta da proteína – os desportistas que praticam modalidades que requerem força explosiva ou fazem fisiculturismo. A proteína providencia os aminoácidos necessários para a reparação dos danos ao músculo. Os batidos de proteína são consumidos depois do treino porque é uma forma cômoda e rápida de consumir proteína.

Um mito comum que se ouve nas academias é que o excesso de proteína pode causar problemas de insuficiência renal ou leva a uma alimentação com pouca fibra. Apesar de alguns alimentos ricos em proteína possuírem pouca fibra isso não implica problemas intestinais. Se o consumo elevado de proteína vier de alimentos naturais e o resto da alimentação for saudável não existe risco de ter falta de fibra nem de problemas renais.

Dieta de Baixa Proteína

Uma dieta de baixa proteína é muitas vezes recomendada a pessoas com problemas nos rins e no fígado. Também é aconselhada a pessoas com problemas metabólicos congênitos como a fenilcetonúria e homocistinúri.

A dieta da proteína pode ser interpretada de várias formas, aqui está um exemplo:

Nesta dieta evitam-se todos os alimentos de origem animal como a carne, ovos, peixe, leite, iogurte, queijo, manteiga de amendoim e outras oleaginosas.

Os alimentos que tem pouca proteína como os vegetais, frutas, pão, bolos, massa, milho e batatas são recomendados. As pessoas que fazem uma dieta de baixa proteína também podem tomar um substituto para a proteína ou um comprimido com minerais e vitaminas para manter a saúde.

Traduzido do Wikipedia

No Wikipedia diz que uma dieta da proteína para melhorar a saúde de pessoas com problemas renais recomenda a evitar alimentos naturais como a carne e os ovos, mas recomenda os bolos e a massa… Cuidado com estas recomendações!

Existem várias dietas para emagrecer que não funcionam, mas a dieta da proteína é uma boa base para deixar de ingerir carboidratos processados em excesso. Uma dieta da proteína encoraja a ingerir menos carboidratos processados e a comer mais alimentos com proteínas. O detalhe mais importante que muitos outros recursos não falam é a importância da ingestão de gorduras saudáveis – isso torna esta dieta mais completa e muito saudável.

Segundo um estudo que foi feito recentemente os homens e as mulheres que seguiram a dieta da proteína ficaram com um apetite menor, uma grande perda de gordura e mais satisfação quando diminuíram a ingestão de carboidratos processados na sua deita. As pessoas que estão habituadas a ingerir quantidades consideráveis de açúcar ficam com muitas oscilações nos níveis de energia e necessitam de estimulantes para se sentir bem. Estes estimulantes incluem as refeições além das 3 principais, o café, bebidas açucaradas ou energéticas, etc.

Tipos e Versões da Dieta da Proteína

Existem várias versões da dieta da proteína… “muita proteína” e “poucos carboidratos” estão ligados fortemente à dieta de Atkins. Apesar disso existem muitas outras dietas para emagrecer que funcionam com as mesmas bases como a dieta paleolítica, dieta da zona, dieta de South Beach, dieta de Stillman, dieta para ganhar músculo, etc.

É possível controlar a obesidade com a dieta da proteína. Quem sofre de obesidade tem outros problemas de saúde associados como a diabetes, hipertensão arterial e problemas cardíacos. O controlo da obesidade através da dieta das proteínas torna-se viável porque é reduzida a quantidade de gordura e de carboidratos consumidos. A alimentação fica mais saudável e menos calórica, o que leva a uma perda de gordura.

A dieta da proteína pode ser feita de várias formas que têm impactos variados na saúde e no emagrecimento. Uma das formas é substituir as refeições por um batido de proteínas – desta forma é possível diminuir a ingestão calórica diária de uma forma cômoda e rápida. O batido de proteína é utilizado para substituir duas refeições diárias, sendo desta forma mais fácil de emagrecer e perder gordura para quem não quer perder tempo a cozinhar ou não tem acesso a alimentação saudável.

Outro tipo de dieta de proteína é feita com o consumo de alimentos saudáveis com elevado teor de proteínas. É importante ler os rótulos das embalagens dos alimentos para saber quantas gramas de proteína os alimentos têm e procurar por conservantes e substâncias prejudiciais à saúde.

Eu recomendo a dieta paleolítica, que considero uma evolução da dieta da proteína – está mais bem explicada e destrói muitos mitos sobre nutrição que impedem alcançar a saúde e o bem estar. Com a dieta primal você pode emagrecer enquanto ganha saúde comendo alimentos saudáveis e saborosos.

Qualquer pessoa que está a tomar medicação deve consultar o seu médico antes, durante e depois da dieta. É importante informar o seu médico do tipo de dieta que vai fazer e quais os seus objetivos em termos de peso e emagrecimento. Após perder peso e ganhar saúde vai ser necessário diminuir ou eliminar a medicação que está a tomar. A dieta da proteína já ajudou milhares de pessoas na sua reeducação alimentar e a ganhar saúde e um criar um aspecto físico mais atraente.

Desvantagens da Dieta da Proteína

A dieta da proteína pode ser mal interpretada. Um exemplo disso é a dieta da Herbalife, que se baseia na substituição das refeições por batidos de proteína. Os batidos Herbalife e de outras marcas contém açúcar, adoçantes e proteínas de soro de leite ou de soja que não substituem alimentos frescos e saudáveis. Os batidos com proteína retirada da soja apresentam outros problemas que nem vou abordar neste artigo.

Em regra geral, quanto menos processados são os alimentos, mais saudáveis são. Batidos e suplementos não devem servir para substituir a alimentação – especialmente quando os ingredientes são de baixa qualidade (o que inclui a grande maioria dos suplementos disponíveis no mercado).

A ingestão de batidos de proteína em excesso pode aumentar as probabilidades de alergias – isto deve-se aos conservantes e à falta de enzimas nos batidos. Este problema não acontece nas dietas de proteína baseadas em produtos frescos. Os alimentos ricos em proteína como os ovos, carne de vaca, frango e peixe eliminam a necessidade do consumo de carboidratos – estes contêm proteína e gorduras. Estas gorduras incluem Omega 3 e outras gorduras necessárias para a absorção da proteína e o bom funcionamento do sistema imunológico.